Gestão Financeira para Fotógrafos

No post de hoje abordamos um tema muito importante para todo fotógrafo que quer crescer na carreira: a gestão financeira. Entenda a importância desse aspecto que muitas vezes é ignorado e acaba virando uma bola de neve, e conheça soluções para manter suas finanças no azul. 

office-pen-calculator-computation-163032.jpg

Nosso objetivo aqui é ajudar você fotógrafo a crescer cada vez mais nos negócios, seja como freelancer, montando seu próprio estúdio ou até mesmo na organização das finanças pessoais. Recomendamos também a leitura do post Conseguindo clientes durante a crise, com algumas dicas mais básicas focando nas dificuldades econômicas recentes.

Ter um bom controle financeiro na fotografia é tão importante quanto conseguir tirar a foto mais fantástica do mundo. Ter boas fotos é obrigação de qualquer fotógrafo que se diz profissional, assim como saber administrar um negócio é tarefa de um empreendedor, logo um fotógrafo-empreendedor precisa desenvolver muito bem as duas funções.

1- Fluxo de Caixaheader_organizacao_financeira_pessoal

Para ter sucesso no planejamento financeiro, o fotógrafo deve saber com conhecimento de causa qual é o próprio fluxo de caixa, que consiste na movimentação das receitas (ganhos) e das despesas (gastos). Para essa etapa recomendamos fazer uma lista contendo:

  • Despesas fixas: aluguel, contas de água, eletricidade, combustível, alimentação, prestações, investimentos, etc
  • Despesas eventuais previstas: IPTU, IPVA, etc
  • Entradas: contratos, pagamento por freelas, pagamento de clientes, etc

A cada mês, você deve fazer a comparação entre o que foi orçado e o que de fato foi realizado (ou pago). Lembre-se de que o primeiro requisito para se ter realmente a organização financeira pessoal é o chamado superávit, isto é, as receitas devem superar as despesas.  Caso o resultado dê negativo, é necessário aumentar o recebimento ou cortar gastos, de preferência as duas opções.

Quem administra muito bem o pouco, estará pronto para administrar muito. Em outras palavras, jamais terá muito se não souber administrar o pouco

2 – Orçamentopexels-photo-164686.jpg

A partir do fluxo de caixa, a pessoa deve criar um orçamento para planejar o uso do dinheiro. Ao programar os gastos com antecedência, fica mais fácil perceber quando algo saiu fora da rota prevista.

Por exemplo, se você estipulou gastar somente R$ 200 por mês com roupas e acessórios pessoais, cumpriu o combinado, mas antes de o mês terminar foi pego de surpresa com uma promoção, saberá dizer não por entender que já atingiu o limite de gasto.

O ideal é que você fixe as suas despesas por grupos, como habitação, transporte, alimentação, educação, saúde, vestuário, lazer etc. Dessa maneira, antes de receber você já terá uma visão geral de como será o seu gasto em determinado mês. É importante que você primeiro quite as dívidas essenciais do seu orçamento para só depois usar parte do dinheiro para gastos supérfluos, como comprar uma roupa da moda ou ir ao cinema.

Recomenda-se ainda que cada pessoa retire uma quantia por mês, que pode ser de 10% da renda, para formar uma reserva de emergência. Esse “fundo” para apuros é muito importante para casos em que a pessoa seja pega de surpresa com alguma situação, como desemprego, doença na família, gasto não programado etc. Além disso, o indivíduo deve guardar outro percentual para realizar os objetivos financeiros que possui.

3 – Objetivobusiness-money-pink-coins.jpg

Ok, fluxo de caixa organizado, orçamento fechado com as despesas essenciais, agora o que fazer com o dinheiro que sobra? Como fotógrafo e outros profissionais liberais é sempre muito importante investir na carreira e formação profissional. Além do destaque, a qualificação permite que seu trabalho seja mais valorizado e você receba melhor pelo mesmo tipo de trabalho.

Um equívoco que muitas pessoas fazem é gastar as economias com bens que se depreciam rapidamente com o tempo, como imóveis e veículos, em vez de investir em ativos que lhes tragam mais dinheiro, como aplicações financeiras e  qualificação profissional.

Recomendamos buscar a gestão financeira com um objetivo em mente, por exemplo:

  • Comprar uma câmera melhor
  • Montar um estúdio
  • Investir em cursos e workshops
  • Contratar fotógrafos e buscar parcerias
  • Objetivos pessoais como casa própria, veículo, viagens

É possível e até recomendado buscar mais de um objetivo por vez, cada um com um determinado prazo. Enquanto todo mês você guarda um pouco para aquele grande objetivo que exige tempo e dedicação, é possível buscar objetivos de curto prazo que envolvem um investimento menor.

Metas

Já as metas dizem respeito à quantificação do que se quer atingir, por exemplo, quando e quanto se quer algo. No caso do gerenciamento de finanças, a definição de metas é de grande importância, para que o indivíduo não perca “o norte” para onde se destina. Se uma meta de poupança mensal não foi cumprida, a pessoa passa a revisar o próprio planejamento, para entender as causas da inconsistência e, assim, aperfeiçoar a programação de contas a pagar.
A meta funciona de forma mais direcionada que o objetivo, enquanto o objetivo de curto prazo pode ser: viajar para participar de um evento, a meta seria juntar o dinheiro através de trabalhos até o dia determinado.

4 – Agendatime-calendar-saturday-weekend-60032.jpeg

Para o fotógrafo que deseja construir uma carreira a médio e longo prazo, as tarefas administrativas são essenciais. E tudo isto está ligado ao tempo: quando as contas devem ser pagas, quando os clientes irão pagar, quais os objetivos de longo prazo, etc. Portanto uma parte fundamental da gestão financeira é a organização da agenda, de preferência com um calendário de compromissos, prazos e vencimentos.

Além de organizar o fluxo de caixa todo mês, tenha também o relatório anual e se possível de cada cliente. Assim é possível ter uma estimativa do rendimento do próximo mês baseado em experiências passadas.

Você deve conhecer e calcular todo o processo, desde a preparação até a entrega das fotos. Organize-se para cobrir os gastos com cada etapa (deslocamento, execução, tratamento, revelação, entrega) enquanto o dinheiro não entra.

5 – Preçoachievement-bar-business-chart-40140.jpg

Se você está tendo dificuldades em determinar quanto cobrar, ou acha que seu trabalho está desvalorizado é importante fazer uma pesquisa de mercado. Não é possível cobrar um preço levando em conta somente sua própria opinião de valor, é preciso atingir um equilíbrio entre gastos e lucro. Para isso separamos algumas dicas:

  • Busque saber quanto seus concorrentes cobram pelo mesmo serviço
  • Faça as contas das despesas que cada contrato envolve: se a duração é maior, leve em conta seu custo de vida durante o período
  • Considere quanto os clientes podem pagar: se seu trabalho está muito caro talvez esteja oferecendo para o público-alvo errado
  • Não se desvalorize! Um preço muito baixo além de gerar baixo lucro passa a idéia de um serviço “barato”, o que pode afastar a clientela
  • Seja criativo: faça parcerias com outros estúdios e fotógrafos, ofereça promoções para vender mais dois serviços a um preço reduzido, etc

 

6 – Checklistwoman-hand-desk-office.jpg

Após seguir os passos anteriores é necessário confirmar se as informações mais importantes estão reunidas. Para isso separamos uma série de perguntas que servem para que você tenha certeza que sua vida financeira está organizada.

  • Qual o valor que seu estúdio precisa lhe pagar mensalmente para arcar com suas despesas pessoais. Sim, além de sócio você é um funcionário de seu negócio;
  • Qual o ponto de equilíbrio para seu estúdio não fechar no vermelho, ou seja, quantos contratos você precisa fechar ao mês para arcar com suas despesas e obter lucro;
  • Qual o valor que precisa reservar por evento para eventuais upgrades de equipamentos;
  • Qual o saldo de fechamento mês a mês? Está fechando no vermelho?
  • Qual sua taxa de crescimento ao mês?
  • Você sabe qual a previsão de fechamento financeiro no final do ano?
  • Quantos meses você pode ficar sem fechar qualquer contrato para tirar umas férias?

Se você respondeu sim para todas estas perguntas, parabéns: você está com um excelente controle financeiro na fotografia. Agora se respondeu não para qualquer item anterior, precisa revisar as etapas anteriores antes que as coisas fiquem mais difíceis.

Não é possível colher frutos diferentes plantando as mesmas sementes.
Tenha em mente que a gestão financeira deve se manter no decorrer da vida e não em períodos específicos. O planejamento financeiro – se bem efetuado – permite descobrir quando é necessário buscar recursos (como financiamentos) ou realizar investimentos (como aquisição de máquinas melhores).

Todo esse gerenciamento constante pode acabar ficando complicada, pois requer conhecimento sobre finanças. No caso de fotógrafos individuais ou de pequenas e médias empresas, o desafio é ainda maior, pois nem sempre há uma pessoa que faça exclusivamente a gestão financeira e orçamentária. Pensando nisso, trazemos uma recomendação na forma de sistemas que facilitam todo o processo.

Sistemas de Gestãoemanager_desktop - 2.jpg

Enquanto é possível realizar a organização financeira utilizando planilhas, anotações e pagando um contador, a maneira mais simples é utilizando um sistema que faça tudo sem complicação. A DigiFoto desenvolveu uma solução que faz toda esta parte de gestão para que você possa focar na fotografia. Com o eManager, você terá em suas mãos cadastros de clientes, relatórios financeiros, fluxo de caixa, agenda de todos os compromissos e prazos e muito mais! Alguns dos recursos:

  • Briefing e modelos de contrato
  • Fluxo de caixa com gráficos e previsão de faturamento
  • Calendário completo com notificações
  • Cadastro de clientes, fornecedores e eventos
  • Acompanhamento do processo de cada cliente
  • Controle de cheques
  • Mala direta e notificações por email
  • Contato por Whatsapp com seus clientes com 1 clique
  • Integração com o sistema eSelect (em breve!)

Utilizando o eManager você terá toda a organização financeira descrita neste post e mais de forma simples e moderna. Entre em contato agora enviando um email com assunto eManager para contato@digifotoonline.com.br e utilizando o código abaixo para receber um super desconto.

CUPOM DESCONTO: DIGIFOTO2018

blog_gestão.jpg
Pague somente uma vez e tenha o sistema durante 1 ano (equivalente a R$ 8,25 por mês).

 

 

Referências

http://www.impacta.com.br/blog/
https://falandodefoto.com.br/
http://destinonegocio.com/
http://destinonegocio.com/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s